Juro para pessoa física é o menor desde 95, destaca Anefac

Pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac) aponta que as taxas de juros das operações de crédito para pessoa física são as menores desde janeiro de 1995, quando a Associação iniciou a sua pesquisa. A maior redução porcentual foi promovida no Crédito Direto ao Consumidor (CDC) dos bancos, basicamente por conta da queda da taxa de juros para financiamento de automóveis. A taxa mensal passou de 3,79% para 3,69%. No cheque especial, os juros passaram de 9,03% ao mês para 8,83% ao mês. Já o crediário de loja registrou redução dos juros mensais de 6,32% para 6,19%. Nas três linhas de crédito ? CDC, cheque especial e comércio de loja ? trata-se do patamar mais baixo de juros desde janeiro de 1995, quando a Anefac iniciou a sua pesquisa.Considerando-se todas as taxas praticadas nas operações para pessoa física, os juros mensais passaram de 8,13% em setembro para 8,02% em outubro. Segundo a Anefac, estas quedas foram provocadas, principalmente, pela redução da Selic, a taxa básica de juros da economia. Em setembro, a taxa estava em 20% ao ano e foi reduzida para 19% ao ano na reunião do mês passado. A queda da Selic neste ano teve início em junho, quando os juros passaram de 26,5% para 26% ao ano.Apesar da redução dos juros, o consumidor deve evitar as compras a prazo, já que as taxas continuam muito elevadas. Para se ter uma idéia, a taxa média anual de juros para pessoa física está em 152,38%, enquanto a inflação acumulada nos últimos 12 meses, com base no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), até outubro, está em 13,98%.Pessoa jurídicaNas linhas de crédito para pessoa jurídica, a maior queda foi promovida no capital de giro ? de 4,32% ao mês para 4,28% ao mês ?, seguindo-se o desconto de cheques que registrou redução dos juros mensais de 4,35% ao mês para 4,31% ao mês. Já os juros mensais da conta garantida passaram de 5,72% para 5,70%. Tomando por base todas as linhas de crédito para pessoa jurídica, a redução dos juros foi de 0,21%, passando de 4,71% ao mês em setembro para 4,70 ao mês em outubro.ExceçõesNem todas as taxas de juros apresentaram queda. Para as operações de crédito à pessoa física, a exceção foi o empréstimo pessoal de bancos, que apresentou uma elevação de 0,33% de setembro para outubro ? de 6,15% ao mês para 6,17% ao mês. Para pessoa jurídica, a exceção foi a linha de crédito de desconto de duplicatas, que teve uma elevação de 2,03% no período ? de 4,43% ao mês para 4,52%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.