Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Juro será mantido em 26,5%, prevê Federação do Comércio

O diretor-executivo da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), Antonio Carlos Borges, disse que, embora não desejável, o governo vai manter a taxa de juros básica em 26,5% ao ano na reunião que ocorre hoje e amanhã do Comitê de Política Monetária (Copom). Segundo ele, a inflação ainda continua alta.Para Borges, ou o comércio repassa os custos nos preços ou quebra. Os repasses no setor estão ocorrendo principalmente pela pressão de preços administrados, como contas de água, luz e transportes. Ele disse que a situação externa é "grave" com o dólar despencando no mundo e economia norte-americana não se reanimando. "Esse quadro deve exigir uma cautela por parte do Banco Central", disse. O diretor-executivo da Fecomercio afirmou que o BC deveria acelerar o processo de redução nos spreads (diferença entre as taxas de captação e empréstimo). Ele disse que a taxa básica de captação dos bancos é de 26,5% ao ano, mas os pequenos e médios empresários pagam juros de 204% ao ano no cheque especial; e 320% ao ano no crédito pessoal.

Agencia Estado,

20 de maio de 2003 | 16h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.