coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Juros altos afastam investidores, diz Piva

O presidente da Fiesp, Horário Lafer Piva, defendeu, hoje, na Comissão de Economia da Câmara, a redução da taxa de juros. Segundo ele, manter a atual taxa "sinaliza mais tensão e falta de confiança". Para Piva, o Banco Central "tem de ter respaldo, não só na sua ação, mas também na sua coragem". Segundo o presidente da Fiesp, a taxa de juros atualmente praticada no País é três vezes maior que a dos demais países da América Latina, cinco vezes maior que a dos países desenvolvidos e dez vezes maior que as da Coréia e da Austrália. Piva advertiu que, se os juros não fores reduzidos, o País vai atrair menos investidores do que realmente tem condições. O presidente da Fiesp disse que atualmente se vive uma crise de confiança no País, causada por um somatório de fatores, entre eles a transição política e os efeitos das dificuldades econômicas de outros países. Mas fez uma análise crítica sobre a política fiscal brasileira. "O equilíbrio fiscal é muito frágil porque está construído sobre uma base tributária ineficiente", afirmou.

Agencia Estado,

19 de junho de 2002 | 12h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.