Juros ao consumidor já estão mais altos em agosto, aponta BC

O comportamento do mercado futuro de juros e do próprio Banco Central serão determinantes em relação ao que os bancos passarão a cobrar de seus tomadores finais de crédito a partir dos próximos meses, de acordo com o chefe do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central, Altamir Lopes. Os dados preliminares de agosto indicam que a elevação na curva de juros futuro (projeções para as taxas de juros nos próximos meses) já gerou reflexos negativos nas taxas finais praticadas pelas instituições financeiras. "Nos primeiros 13 dias úteis do mês, a taxa média de juros das operações com crédito livre subiu de 43,9% para 44,4%. No caso das pessoas físicas, a taxa média no período atingiu 62,8% e das pessoas jurídicas 30%", disse Lopes. É importante ressaltar que esse movimento não reflete a ata da reunião de agosto do Comitê de Política Monetária (Copom), que alertou sobre a possibilidade de aumento da taxa básica de juros, a Selic.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.