bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Juros ao consumidor têm ligeira queda em março

Nos últimos dias 5 e 6, a Fundação Procon-SP, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, realizou a pesquisa mensal de taxa de juros bancários. Detectou-se que a taxa média, entre os 13 bancos pesquisados, para o cheque especial foi de 8,90% ao mês, contra 8,91% em fevereiro. Para as operações de empréstimo pessoal o juro foi de 5,47% ao mês, contra 5,53% em fevereiro. No cheque especial observou-se que a maior taxa mensal foi de 9,50% (HSBC e BCN) e a menor foi de 7,95% (Nossa Caixa Nosso Banco). A única queda verificada na modalidade foi a promovida pelo Banespa, que alterou a taxa de juros de 8,99% para 8,89% ao mês. Com relação ao empréstimo pessoal constatou-se que a maior taxa mensal foi de 6,95% (Itaú) e a menor foi de 3,95% (Nossa Caixa Nosso Banco). As quedas nesta modalidade ocorreram na Caixa Econoômica Federal (CEF) e no Santander. A CEF mudou a taxa mensal de 5,50% para 4,80%. Já o Santander alterou a taxa de 5,75% para 5,72% ao mês. Nas demais instituições não foi verificada alteração nas taxas de juros. Os técnicos de estudos e Pesquisas da Fundação Procon-SP salientam que, embora a taxa de juros básica (Selic) tenha sofrido em ligeira queda (de 19% para 18,75% ao ano), não foram constatadas mudanças significativas nas taxas aplicadas pelos bancos. Os 13 bancos que fizeram parte da coleta foram: Bilbao Vizcaya Brasil-BBV, Banco do Brasil, Banespa, BCN, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Mercantil de São Paulo, Nossa Caixa Nosso Banco, Real, Santander e Unibanco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.