Juros bancários subiram ainda mais em março, aponta Procon

Levantamento mensal divulgado nesta segunda-feira pela Fundação Procon-SP apontou elevação nas taxas de juros praticadas pelos bancos em março. Segundo a pesquisa, realizada nos dias 7 e 8 deste mês com dez instituições financeiras, a taxa média de cheque especial atingiu 8,19% ao mês (157,10% ao ano), o que representou acréscimo de 0,07 ponto porcentual ante fevereiro. No mesmo período, a taxa média de empréstimo pessoal avançou 0,09 ponto porcentual, para 5,25% ao mês (86,65% ao ano), marca mais expressiva desde fevereiro de 2004, quando a taxa era de 5,35% ao mês. De acordo com o órgão, que é vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Governo do Estado de São Paulo, a elevação das taxas médias, observada na pesquisa de março, confirmou a tendência de alta iniciada em outubro do ano passado. Desta vez, no entanto, o Procon-SP destaca que houve maior participação dos bancos da amostra: dentre as dez instituições pesquisadas, 50% aumentaram suas taxas no cheque especial e 60%, no empréstimo pessoal.O levantamento mostra ainda que a maior taxa de cheque especial de março foi cobrada pelos bancos Itaú e Real (8,40% ao mês) e a menor foi verificada na Caixa Econômica Federal (7,59% ao mês). Nenhuma instituição promoveu queda neste tipo de modalidade e os aumentos de taxa mais significativos foram verificados no Unibanco, Santander, Banespa e Caixa Econômica Federal.O primeiro alterou, de 8,17% para 8,36% ao mês, o que significou um acréscimo de 0,19 pp e variação de 2,33% em relação à taxa do mês anterior. Santander e Banespa modificaram, de 8,20% para 8,35% ao mês (aumento de 0,15 pp ou 1,83%), e a Caixa aumentou de 7,48% para 7,59% ao mês (elevação de 0,11 pp e variação de 1,47%).Empréstimo pessoalCom relação ao empréstimo pessoal, o Unibanco praticou a taxa mais expressiva (5,85% a.m.) e a Nossa Caixa cobrou a menor (4,10 a.m.). Neste mês, Caixa Econômica, Unibanco e Bradesco tiveram os aumentos de maior destaque, enquanto o HSBC foi a única instituição que diminuiu a taxa.A Caixa alterou de 4,49% para 4,99% ao mês, o que representou acréscimo de 0,50 ponto porcentual e variação positiva de 11,14% em relação à taxa do mês passado. O Unibanco modificou, de 5,70% para 5,85% ao mês (elevação de 0,15 pp ou variação de 2,63%), o Bradesco aumentou, de 5,66% para 5,76% a.m. (alta de 0,10 pp e variação de 1,77%), e o HSBC reduziu, de 5,15% para 5,13% a.m., o que significou um decréscimo de 0,02 pp e uma variação negativa de 0,39%.Condições da pesquisaOs bancos pesquisados pela Fundação Procon-SP em março foram o HSBC, Banespa, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander, Nossa Caixa, Real e Unibanco. Os técnicos destacam que, em virtude da possibilidade de variação da taxa do empréstimo pessoal pelo prazo do contrato, foi estipulado o período de 12 meses como base, já que todos os bancos pesquisados trabalham com este prazo. Os dados coletados referem-se a taxas máximas prefixadas para clientes não preferenciais, sendo que, para o cheque especial, foi considerado o período de 30 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.