Juros caem com ajuste técnico antes da decisão do Copom

A realização de lucros no mercado de juros finalmente aconteceu ontem e colocou os principais contratos em baixa, alterando a trajetória recente de avanço verificada nas últimas sessões. O ajuste foi reforçado logo após a divulgação do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que mostrou a criação recorde em 2010 de 2.524.678 postos de trabalho formal, já descontadas as demissões do período, mas fechamento líquido de 407.510 postos em dezembro. O recuo dos juros foi mais firme nos contratos de longo prazo, justamente os que haviam avançado recentemente. Os contratos de curtíssimo prazo terminaram com leve viés de alta, à espera do resultado da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), hoje. O mercado está preparado para uma alta de 0,50 ponto porcentual na taxa básica, para 11,25% ao ano, com apostas esparsas em aumento de 0,75 ponto.

Denise Abarca, O Estado de S.Paulo

19 de janeiro de 2011 | 00h00

O juro para fevereiro de 2011, o primeiro a vencer após a decisão sobre a Selic, fechou perto da estabilidade, passando de 11,03% para 11,06%. A taxa para janeiro de 2017 caiu de 12,39% para 12,34%.

A Bovespa chegou a ultrapassar os 71 mil pontos após a abertura, acompanhando o bom humor externo, mas acabou devolvendo parte dos ganhos ao longo do dia. Foram bem-sucedidos os leilões de bônus soberanos da Espanha, Grécia, Bélgica e Hungria, entre segunda-feira e ontem, uma vez que os juros ficaram iguais ou menores do que em outras operações recentes. No final, o Ibovespa avançou 0,44%, aos 70.919,75 pontos. No mês e no ano, o índice à vista acumula ganho de 2,33%.

No câmbio, o dólar recuou 0,36%, para R$ 1,6770 no balcão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.