Juros caem mais com economia fraca

Taxas futuras têm quarta queda consecutiva em meio a indicadores ruins no Brasil; Bovespa e dólar sobem

Denise Abarca, Claudia Violante e Silvana Rocha, O Estadao de S.Paulo

14 de janeiro de 2009 | 00h00

Nova rodada de fracos indicadores domésticos e o impacto da crise sobre o mercado de trabalho reforçaram a expectativa de forte desaceleração econômica, e até de recessão, no Brasil. Com isso, houve espaço para a quarta queda consecutiva dos juros futuros na BM&F. Contudo, a curva a termo ainda mostra um mercado dividido sobre o tamanho do corte da taxa Selic na próxima semana. O juro de abril de 2009 recuou a 12,84%; o de janeiro de 2010, para 11,50%; e o de janeiro de 2012, para 11,59%. Nas bolsas, o dia foi marcado pelavolatilidade. A Bovespa conseguiu terminar com alta de 0,36%, aos 39.544,23 pontos, enquanto os índices acionários caíram na Ásia e Europa e encerraram em direções mistas em Nova York. O Índice Dow Jones recuou 0,30% e o Nasdaq subiu 0,50%. Além do balanço negativo da fabricante de alumínio Alcoa reforçar as perspectivas pessimistas para os resultados de outras empresas, o presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, alertou que o momento da recuperação econômica é incerto. Aqui, o Ibovespa ganhou suporte da demanda por ações da Vale e Petrobrás em meio à recuperação dos preços do petróleo e dos metais no exterior. O dólar subiu 1,48%, a R$ 2,328 no balcão. FRASEMauro LeosVice-presidente da agência de rating Moody''s"É pouco provável que algo se dará sobre rating do Brasil no 1º semestre. Panorama mundial está se complicando. Há interrogações sobre extensão da crise"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.