Juros caem mas dólar segue alto com cambiais

As cotações nos mercados seguem refletindo muito pessimismo, mas o dia foi relativamente tranqüilo, centrado nos dois principais acontecimentos da semana. Na quarta-feira, vence cerca de US$ 1 bilhão em contratos cambiais, e também será realizada a reunião mensal do Comitê de Política Monetária (Copom) para discutir a Selic, a taxa básica referencial de juros da economia, atualmente em 21% ao ano.Neste final de ano há fortes concentrações de vencimentos cambiais, na medida em que os investidores foram evitando rolar seus contratos para o ano que vem. As incertezas em relação ao novo governo mantêm o mercado muito cauteloso e reticente em comprar papéis do próximo mandato. Com isso, os vencimentos vêm sendo difíceis de rolar e são em grande parte resgatados. Hoje os dois leilões marcados pelo BC fracassaram, mas a autoridade monetária tentará rolar os papéis novamente amanhã.O resultado é que o dólar fica pressionado, pois investidores que recebem reais por seus papéis corrigidos pelo câmbio procuram a moeda norte-americana. E os detentores dos papéis no vencimento especulam com a cotação do dólar do dia anterior ao vencimento para conseguir um rendimento melhor. Ou seja, amanhã a cotação média dos negócios com o dólar corrigirá os contratos, e deve haver oscilações. As várias medidas do Banco Central na semana passada conseguiram conter em parte a especulação, mas não se observa um recuo significativo nas cotações.Quanto à reunião de outubro do Copom, os analistas prevêem a manutenção da Selic nos atuais 21% ao ano. A taxa já foi elevada na reunião extraordinária da segunda-feira passada, e em significativos três pontos porcentuais. Desde então, o dólar tem subido, mas muito pouco, mantendo-se abaixo dos R$ 4. Assim, não se espera outra elevação imediatamente e as taxas dos contratos futuros, ainda bastante altas, vêm caindo.MercadosO dólar comercial foi vendido a R$ 3,9150 nos últimos negócios do dia, em alta de 1,03% em relação às últimas operações de sexta-feira, oscilando entre R$ 3,9300 e R$ 3,9000. Com o resultado de hoje, o dólar acumula uma alta de 69,04% no ano e de 14,98% nos últimos 30 dias. No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros pagam taxas de 23,990% ao ano, frente a 23,830% ao ano sexta-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta de 1,17% em 9.128 pontos e volume de negócios foi de R$ 738,815 milhões, inflado pelo vencimento de opções. Com o resultado de hoje, a Bolsa acumula uma queda de 32,77% em 2002 e uma queda de 4,77% nos últimos 30 dias. Das 50 ações que compõem o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa -, o melhor desempenho foi apurado pelas preferenciais (PN, sem direito a voto) da Eletropaulo, com valorização de 6,80%. A maior baixa foi verificada nas preferenciais da Telemar, de 3,48%.Mercados internacionais Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em alta de 2,59%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - subiu 1,69%. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, fechou em queda de 0,72%.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.