Juros cedem com relatório do BC

Revisões para o PIB e a inflação em 2010 reforçaram possibilidade de extensão do ciclo de corte da taxa Selic

Alessandra Taraborelli, Claudia Violante e Silvana Rocha, O Estadao de S.Paulo

27 de junho de 2009 | 00h00

Os juros futuros despencaram, ontem, reagindo à sinalização dada pelo Relatório Trimestral de Inflação de que a taxa Selic poderá cair até setembro. Antes, a expectativa era de que, no encontro do Copom em julho, a autoridade monetária poderia promover o último corte do juro básico. A mudança de percepção decorreu da revisão das previsões do BC para o PIB e a inflação em 2010. O documento mostrou um cenário benigno e, para o mercado, afastou a hipótese de alta da Selic no início do ano que vem. A taxa de janeiro de 2010 caiu a 8,77% e a de janeiro de 2012, a 10,86%. A expectativa de extensão do ciclo de flexibilização monetária ajudou a amparar a Bovespa em terreno positivo na maior parte da sessão. No final, o índice paulista recuou 0,06%, aos 51.485,61 pontos em meio à queda das commodities. Em Nova York, o índice Dow Jones cedeu 0,40% e o Nasdaq subiu 0,47%. Os investidores ficaram cautelosos diante da constatação de que os norte-americanos estão economizando mais do que gastando, o que pode retardar a recuperação da economia do país. O dólar seguiu a desvalorização externa da moeda dos EUA e cedeu 0,36%, a R$ 1,939 no balcão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.