Juros de empréstimo pessoal têm leve queda

As taxas de juros de empréstimo pessoal e cheque especial ficaram praticamente estáveis em julho segundo levantamento divulgado nesta sexta-feira pela Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo. A pesquisa, realizada entre os dias 1.º e 2 em dez instituições financeiras, mostra que a taxa média de empréstimo pessoal apresentou declínio de 0,05 ponto porcentual, para 5,23% ao mês, e que a taxa para o cheque especial permaneceu em 8% ao mês. Ao ano, as taxas equivalentes são de 84,34% e 151,93%, respectivamente.Segundo o levantamento, em julho a maior taxa de empréstimo pessoal foi cobrada pelo Itaú (5,70% ao mês) e a menor foi verificada na Nossa Caixa (4,10% ao mês). A taxa mais elevada no cheque especial ficou por conta dos Bancos Real e Itáu (8,25%), enquanto o Banco do Brasil estipulou a taxa mais baixa (7,33%). No período, somente dois bancos da amostra alteraram suas taxas no empréstimo pessoal: o HSBC alterou de 5,35% para 4,99% ao mês. O Banco Real alterou de 5,70% para 5,60% ao mês. Quanto às taxas do cheque especial, nenhuma instituição promoveu mudança .Para os técnicos do Procon-SP, a tendência no mercado financeiro ainda é de manutenção das taxas de juros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.