Juros devem cair, mas sem riscos para economia, diz Meirelles

O Presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse hoje, no plenário da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), que o Brasil deve continuar a perseguir o nível de taxa de juros mais baixo do que o praticado hoje. "Mas isto tem que ser feito de forma responsável e que não traga instabilidade para a economia", afirmou. Ele procurou demonstrar aos parlamentares que as taxas de juros estão, no momento atual, em patamares abaixo dos existentes na história recente do País. Meirelles lembrou que o juro real médio, entre 1997 e 1999, era de 21,4%, e caiu para 15,8% entre 2000 e 2002 chegando a 13,2% ano passado. Para 2004, o presidente do BC disse que a taxa real média está em 9,3%. "Temos aí a menor taxa real média desde a implantação do Plano Real", comentou. Ele teve a preocupação de ressaltar que não estava fazendo sinalização ou prognóstico sobre a trajetória futura dos juros. "Estou fazendo apenas comentários objetivos sobre dados da história", disse. Queda de juros depende da conjuntura O presidente do BC voltou a dizer que uma condição para que a taxa de juros continue a cair é que haja uma redução do risco Brasil ? taxa que mede a confiança dos investidores estrangeiros na capacidade de pagamento da dívida do país ?, que deve ser alcançada, em parte, pela manutenção do ajuste fiscal, o qual contribui para diminuir a relação dívida/PIB.

Agencia Estado,

25 Março 2004 | 11h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.