Juros do cartão de crédito caíram em fevereiro

Pesquisa mensal de juros cobrados nos cartões de crédito, realizada pela Agência Estado no dia 28 de fevereiro, aponta que as taxas médias na utilização do cartão foram reduzidas, exceto a taxa cobrada no juro parcelado, que subiu de 7,32% em janeiro para 7,36% ao mês em fevereiro. Nas demais modalidades - juros por atraso, juro rotativo e juros no saque - as taxas médias caíram em fevereiro (veja pesquisa completa nos links abaixo). As reduções acompanham a tendência de queda dos juros ao consumidor, pretendida pela equipe econômica do Banco Central.A taxa média nos juros por atraso - cobrada proporcionalmente aos dias em atraso no pagamento da parcela - foi de 9,14% ao mês, contra os 9,23% de janeiro. A maior taxa verificada foi de 12% ao mês cobrada pelo Bradesco e a menor foi de 3,50% ao mês do cartão Premier/Mastercard do HSBC.Nos juros rotativos - que incidem sobre o saldo da parcela após o pagamento da parcela mínima - , a taxa média caiu de 9,39% em janeiro para 9,07% ao mês em fevereiro. O juro mais baixo foi novamente de 3,50% ao mês, cobrado pelo HSBC. Já a Fininvest o Itáu cobraram o juro mais alto: 11,90% ao mês.A taxa média de juros cobrado no saque - quando o cliente faz um saque diretamente no caixa eletrônico - foi de 9,24% ao mês em fevereiro, sendo que em janeiro a porcentagem era de 9,44%. O Banespa continua cobrando o juro mais baixo no saque: 4,20% ao mês. No entanto, a essa taxa deve ser acrescida a multa de 1%. A taxa mais alta, 11,20% ao mês, foi cobrada por alguns cartões do HSBC.Já a taxa média de juros paga no parcelamento - juro cobrado quando o cliente opta por fazer o parcelamento da sua compra - foi a única a sofrer um aumento: a taxa de 7,32% ao mês em janeiro foi para 7,36% ao mês em fevereiro. A menor taxa cobrada foi de 3,1% ao mês da Caixa Econômica Federal. Já a máxima, de 10,42% ao mês, foi praticada pelo Banespa.Juros menores são o objetivo do governoSegundo o último relatório de juros e spread bancário do Banco Central do último dia 20, os juros cobrados ao consumidor foram reduzidos. A taxa de juros nas operações de crédito à pessoa física sofreu uma redução de três pontos porcentuais em janeiro em relação a dezembro do ano passado, fechando em 63,5% ao ano - o equivalente a cerca de 4,2% ao mês (veja mais informações no link abaixo). Segundo o diretor de Política Econômica do BC, Ilan Goldfajn, as reduções espelham, em boa parte, a própria redução dos juros básicos da economia - taxa Selic - e também das expectativas do mercado de que novas rodadas de corte dos juros da economia seriam efetuadas no médio prazo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.