Juros do crédito ao consumidor sobem em fevereiro

Em fevereiro, as taxas médias das linhas de crédito para pessoa física registraram uma pequena alta em relação ao mês anterior, segundo pesquisa feita pela Fundação Procon-SP, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual. No cheque especial, a taxa média mensal foi de 8,91%, contra 8,90% registrado em janeiro. Para o empréstimo pessoal, os bancos cobram em média 5,53% ao mês, sendo que em janeiro esse percentual era de 5,43% ao mês.O levantamento revelou que para o cheque especial a maior taxa mensal foi de 9,50%, cobrada pelos bancos HSBC e BCN, enquanto que a menor foi de 7,95% ao mês, da Nossa Caixa Nosso Banco. A única elevação constatada foi promovida pelo Banespa, que alterou a taxa de 8,89% ao mês para 8,99%.Já com relação ao empréstimo pessoal verificou-se que a maior taxa foi de 6,95% ao mês, do Itaú, e a menor, de 3,95%, cobrada pela Nossa Caixa Nosso Banco. As elevações verificadas para esta modalidade ocorreram na Caixa Econômica Federal (de 4,80% para 5,50% ao mês) e no BBV (de 3,50% para 4,10% ao mês). Nas demais instituições financeiras não houve alteração nas taxas de juros. Veja pesquisa completa no link abaixo.Os técnicos de Estudos e Pesquisas da Fundação Procon-SP salientam que tendo em vista a possibilidade de variação da taxa do empréstimo pessoal em função do prazo do contrato, foi estipulado o período de 12 meses, já que todos os bancos pesquisados trabalham com esse prazo. Os dados coletados referem-se a taxas máximas pré-fixadas para clientes não preferenciais, sendo que para o cheque especial foi considerado o período de 30 dias.Os técnicos observam que as taxas não apresentaram grandes alterações, mas ainda assim continuam elevadas e, portanto, o consumidor não deve animar-se para utilizar essas modalidades de crédito e somente recorrer a essas alternativas caso seja realmente necessário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.