Juros do crédito pessoal têm ligeira queda

Os resultados do levantamento sobre juros bancários feito pela Fundação Procon-SP, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, revelam que a taxa de juros média para o cheque especial manteve-se em 8,76% ao mês, sem alteração desde maio deste ano. Já a taxa média mensal observada para o empréstimo pessoal foi de 5,63%, inferior à de agosto, de 5,69%.Com relação ao cheque especial verificou-se que a maior taxa mensal foi de 9,50%, do BCN, e a menor, 7,95%, da Nossa Caixa. A maior taxa mensal observada para a modalidade empréstimo pessoal foi de 6,95%, cobrada pelo Itaú, e a menor foi de 3,95%, da Nossa Caixa. As quedas apuradas no empréstimo especial ocorreram no Unibanco, Banco Real e Santander. O Unibanco alterou a taxa de 6,50% para 5,90% ao mês. O Banco Real modificou a taxa de 5,95% para 5,75% ao mês. O Santander mudou a taxa mensal de 6,06% para 5,99%. Das instituições pesquisadas, a única instituição financeira que aumentou a taxa de empréstimo pessoal foi o BBV, que a modificou de 4,20% para 4,40% ao mês.Tendo em vista os resultados obtidos no levantamento, os técnicos de Estudos e Pesquisas da Fundação Procon-SP observam que o cenário econômico continua adverso e os recentes acordos com o FMI não têm sido suficientes para restabelecer a confiança dos investidores externos no Brasil. Como resultado, as taxas de câmbio e de risco-país permanecem em patamares elevados. Esse quadro agrava-se pelas expectativas geradas pela eleição presidencial.Copom mantém juros em 18% ao anoDiante desses fatos, bem como do impacto da desvalorização cambial sobre os preços, o Comitê de Política Monetária (Copom) optou pela manutenção da taxa de juros básica (Selic) em 18,00%, conforme reunião realizada em agosto. A manutenção da taxa básica de juros já era esperada pela maioria dos analistas e não surpreendeu o mercado.O resultado da pesquisa mensal de taxa de juros da Fundação Procon-SP confirmou essa tendência, mas a pequena queda verificada para o empréstimo pessoal não deve encorajar o consumidor para o uso desses serviços, pois as taxas cobradas nas duas modalidades pesquisadas ainda continuam altas. Os técnicos do Procon, alertam: o limite do cheque especial não é uma extensão do salário e, portanto, deve ser utilizado com muito critério.Os 13 bancos que fizeram parte da coleta foram: Banco Bilbao Vizcaya Brasil-BBV, Banco do Brasil, Banespa, BCN, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Mercantil de São Paulo, Nossa Caixa, Real, Santander e Unibanco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.