Juros domésticos fecham estáveis na BM&F

O mercado de juros melhorou à tarde, depois de uma manhã tensa, que ainda refletia as apreensões da véspera com a desaceleração da economia norte-americana. Como a preocupação experimentada pelo mercado ontem engordou um pouquinho os prêmios - que eram muito baixos quando o mercado estava mais otimista - estes começaram a parecer mais interessantes aos investidores e "chamaram" novas compras. Um mercado mais comprador pressiona os juros para baixo. Assim, após a alta verificada pela manhã, os juros fecharam estáveis em relação a ontem para os contratos futuros mais negociados. O contrato de DI futuro para outubro, o mais negociado agora na bolsa, fechou o dia projetando taxa de juros de 15,38% ao ano, de hoje ao vencimento, praticamente no mesmo nível de ontem (15,37%); o de julho, segundo lugar em termos de liquidez, aponta agora 15,16%, ante 15,13% da véspera; e o DI abril, que já vai saindo de cena dos mais líquidos, 15,04%, ante 15,01% de ontem. O mercado de juros tem mais limites à oscilação do que a bolsa, neste momento. Isso porque ninguém no mercado acredita seriamente que a Selic, juro básico da economia - possa ser elevada, ainda que a economia dos EUA possa continuar dando sinais fortes de desaceleração.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.