Juros e dólar em queda

O otimismo com relação ao rumo da taxa básica de juros - Selic - parece ter aumentado esta manhã.As projeções das taxas de juro no mercado de futuros continuaram recuando, indicando que está aumentando o coro dos que acham possível que o Comitê de Política Monetária (Copom) defina um corte na taxa ainda hoje. Pela manhã, os juros ficaram em 19,40% ao ano. Ontem títulos com a mesma base de negócios no swap prefixado de 252 dias úteis encerrou o dia em 19,51% ao ano. Hoje, o Tesouro Nacional realizou leilão de títulos públicos prefixados. O lote de 1,5 milhão de papéis com prazo de seis meses saiu a 18,71%, taxa inferior à do leilão da semana pssada, quando títulos de prazo equivalente foram vendidos a 19,38%. Operação com títulos federais anima o mercado O mercado de câmbio vem sendo favorecido pela boa receptividade dos títulos públicos do Brasil no exterior. No setor privado, as emissões também têm conseguido bons resultados. Prova disso é a emissão de títulos do governo realizada hoje no mercado europeu. De acordo com o Banco Central (BC), o Brasil está captando o equivalente a 500 milhões de euros com a colocação de papéis de cinco anos e um prêmio de 9% ao ano. O BC ressaltou que as condições do lançamento efetuado hoje são melhores do que os da captação feita em 9 de setembro do ano passado. Boa parte da estabilidade do câmbio nos últimos dias refere-se ao equilíbrio entre entradas e saídas de dólares.O mercado estima que mais de 80% dos vencimentos de dívidas de empresas brasileiras no exterior para os próximos 10 dias - US$ 1 bilhão -, já estão sendo postergados. Isso mantém equilibrado o fluxo cambial e deve continuar favorecendo o fluxo cambial. A preocupação fica por conta da balança comercial. Os números não agradam e os operadores começam a acreditar que vão impactar nos negócios em pouco tempo. Ontem, foi divulgado o resultado da balança comercial da terceira semana de junho, com déficit - importações maiores que exportações - de US$ 95 milhões. Há pouco, o dólar era vendido a R$ 1,8010 na ponta de venda. Em relação ao fechamento de ontem, registra uma queda de 0,11 %. Balança comercial nos EUA derruba Bolsas O resultado da balança comercial nos Estados Unidos poderá despertar a atenção do banco central norte-americano (FED), que deve se reunir na próxima semana para decidir sobre os juros nos EUA. Isso porque esperava-se um recuo maior no saldo negativo da balança e isso não aconteceu. Como a expectativa não foi correspondida, as bolsas, tanto as norte-americanas como a brasileira registram queda durante a manhã.Agora há pouco, a Dow Jones - que negocia as ações das empresas mais negociadas na Bolsa de Nova Iorque - registrou queda de 0,99%. A Nasdaq - que mede a valorização das empresas do setor de tecnologia - recuperou um pouco e está com pequena alta de 0,81%. A Bolsa de Valores de São paulo acompanhou e está em queda de 0,46%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.