Juros futuros recuam com apetite de investidor estrangeiro

Os juros futuros esticaram ontem o fôlego de queda da véspera, em trajetória alimentada basicamente pelo fluxo de investidores estrangeiros, que aplicaram recursos nos contratos de vencimento a longo prazo na BM&FBovespa. Além de refletir o apetite ao risco visto no cenário externo, o movimento teve ainda influência do sucesso da oferta de ações da Petrobrás, que somou R$ 120,360 bilhões. Ao contrário do que se especulava dias atrás, houve adesão em massa dos fundos estrangeiros e o êxito da operação mostra que eles estão confiantes não somente no futuro da petrolífera, mas também nos fundamentos da economia brasileira como um todo. Além disso, há expectativa de que os recursos que entrarão no caixa da companhia, R$ 45,5 bilhões, poderão ser aplicados em títulos públicos, como opção de investimento da Petrobrás enquanto maturam os projetos do pré-sal. A taxa do contrato para janeiro de 2013 recuou para 11,81%.

Cenário: Denise Abarca, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2010 | 00h00

Nas ações, houve ajuste negativo quase generalizado nos papéis do Ibovespa, que, dessa forma, assumiu trajetória independente das bolsas em Nova York, onde o índice Dow Jones subiu 1,86%. A Bolsa brasileira recuou 0,87%, para 68.196,48 pontos, nesta sexta-feira, mas teve valorização de 1,65% na semana. Um dia depois do fechamento do preço de oferta dos papéis para a capitalização, Petrobrás PN cedeu 1,87% e Petrobrás ON, 1,98%.

O dólar caiu ante o real, dada a tendência global e também a expectativa de entrada de fluxo externo com as captações corporativas e com a operação da Petrobrás. No balcão, a moeda norte-americana fechou a R$ 1,711, com recuo de 0,41% ontem, exatamente a mesma variação acumulada na semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.