Juros mantêm ajustes e sobem

Mas movimento não foi considerado consistente porque os indicadores locais ruins reforçam o temor com a economia

Denise Abarca, Claudia Violante e Silvana Rocha, O Estadao de S.Paulo

27 de janeiro de 2009 | 00h00

Os juros futuros mais negociados voltaram a subir, ontem, prosseguindo o ajuste iniciado na sexta-feira após a surpresa negativa com o IPCA-15 de janeiro, de 0,40%, ante 0,29% em dezembro. Novos indicadores reforçaram as preocupações com a economia doméstica, como o aumento da inadimplência das empresas em dezembro para o maior nível desde 1999 e o corte de 130 mil vagas na indústria paulista no mês passado, o maior da série histórica. Ainda assim, as taxas foram corrigidas, embora o movimento tenha sido considerado sem muita consistência. Há grande expectativa sobre a ata da reunião do Copom deste mês, que será divulgada na quinta-feira. A taxa para julho de 2009 avançou para 11,82%; a de janeiro de 2010, para 11,39%; e a de janeiro de 2012, para 11,90%. A Bovespa foi influenciada pela volatilidade das ações em Wall Street e dos preços do petróleo. Como as ações norte-americanas terminaram no azul, o Ibovespa ganhou 0,99%, aos 38.509,45 pontos. O dólar oscilou em baixa ante o real em meio a poucos negócios e dois leilões do Banco Central, acompanhando o declínio da divisa americana no exterior. O dólar recuou 1,28%, para a cotação de R$ 2,310 no balcão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.