Juros sobem à espera do Copom

Dúvidas sobre o tamanho da alta da Selic e a duração do aperto monetário impulsionaram as taxas na BM&F

Denise Abarca, Claudia Violante e Silvana Rocha, O Estadao de S.Paulo

17 de abril de 2008 | 00h00

Apesar da certeza de que o Copom iniciaria o ciclo de aperto na Selic, as dúvidas sobre o tamanho desse ajuste e o prazo de duração alimentaram especulações que pressionaram toda a curva de juros na BM&F. Por isso, esse mercado descolou-se do bom humor dos demais. Enquanto as taxas futuras renovaram as máximas à tarde, as Bolsas seguiam em alta e o dólar, em queda. O juro de julho de 2008 subiu a 11,66%; o de janeiro de 2009, para 12,53%; e a taxa de janeiro 2010, para 13,35%. Nos EUA, balanços de empresas e bancos melhores do que o esperado, o índice de inflação ao consumidor (CPI) em março em linha com as previsões e um Livro Bege que não adicionou mal-estar garantiram ganhos às bolsas globais. A Bovespa avançou 2,45%, aos 64.151,9 pontos. O dólar no balcão caiu 1,13%, para R$ 1,664, menor valor desde 14/5/1999.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.