Justiça aceita pedido de concordata da Parmalat Brasil

A Justiça aceitou nesta terça-feira os pedidos de concordata preventiva da Parmalat Brasil Indústria de Alimentos e Parmalat Participações do Brasil. As empresas terão agora prazo de 24 meses para pagar os credores, em duas parcelas. A primeira, ao final do primeiro ano no valor de 40% das dívidas e o restante no final do segundo ano.A Justiça suspendeu ainda as ações e execuções contra a empresa por créditos sujeitos aos efeitos da concordata. O professor Aclibes Burgarelli foi nomeado síndico dos ativos. Segundo a decisão, a Parmalat Brasil possui uma dívida de R$ 329 milhões. A Parmalat Participações tem uma dívida de R$ 974 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.