Justiça ainda não conseguiu entregar intimação à Vasp

A justiça autorizou nesta sexta-feira a requisição de força policial, se necessário, para facilitar e intimação do dono da Vasp, Vagner Canhedo, a pagar em 24 horas a dois credores, R$ 9,125 milhões, sob pena de decretação da falência empresa. O oficial de justiça Orandir está tentado sem êxito desde o dia 6 entregar os mandados de citação à Canhedo ou a algum outro responsável legal pela empresa aérea, que estaria se ocultando.Os mandados foram expedidos pelo juiz Carlos Henrique Abrão, da 42ª Vara Cível, em dois pedidos de falência contra a Vasp formulados pela GE CELMA (credora de R$ 3,125 milhões) e pela GE VARIG ENGINE SERVICE (R$ 6 milhões). Os créditos referem-se à prestação de serviços e fornecimento de peças de avião que são representados por duplicatas não pagas, protestadas desde 26 de agosto do ano passado.Os dribles ao oficial de justiça vem favorecendo Canhedo. Em razão dos feriados prolongados, caso ele venha ser intimado no final da semana, o prazo de 24 horas para depositar o dinheiro na justiça só começará a correr a partir de quarta-feira. É que o Judiciário, não obstante o monstruoso acumulo de processos, resultante de 91 dias de greve de seus funcionários, resolveu emendar o feriado do dia 12 e não funcionará a partir de Segunda.Após a intimação, Canhedo terá duas opções: pagar imediatamente o que deve ou apresentar defesa, com a condição de depositar o dinheiro enquanto se discute. À quantia de R$ 9,125 milhões devem ser acrescidos mais 5% de honorários dos advogados da GE, juros e correção monetária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.