Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Justiça intima ex-executivos da Sadia por dados privilegiados

Segundo denúncia do MP, informações relativas ao negócio da Perdigão teriam sido utilizadas indevidamente

Cley Scholz, de O Estado de S. Paulo,

25 de maio de 2009 | 11h28

Dois ex-executivos da Sadia e um ex-executivo do banco ABN-Amro serão citados pela Vara Federal Especializada em Crimes Financeiros e Lavagem de Dinheiro acusados de usar informações privilegiadas (insider trading), obtidas em São Paulo, relativas à oferta da Sadia pelo controle acionário da concorrente Perdigão. Eles deverão apresentar defesa por escrito em até dez dias.

 

Veja também: 

especialEspecial sobre a fusão entre Perdigão e Sadia

especialLinha do tempo das empresas

especialO tamanho das empresas e seus desafios no exterior 

 

O juiz federal substituto Márcio Rached Millani, da 6ª Vara Federal, recebeu a denúncia do Ministério Público Federal em São Paulo e mandou citar os executivos. As informações teriam sido utilizadas para obtenção de lucro no mercado financeiro.

 

Segundo nota, o juiz aceitou a denúncia porque o procurador da República Rodrigo de Grandis individualizou as condutas dos réus e indicou como a informação relevante teria sido obtida, a sua utilização, o desconhecimento do mercado e a aquisição dos papéis, ou seja, satisfez a todos os requisitos legais.

 

Serão citados para apresentação de defesa, o ex-diretor de Finanças e Relações com Investidores da Sadia, Luiz Gonzaga Murat Júnior, o ex-membro do Conselho de Administração da Sadia, Romano Ancelmo Fontana Filho, e o ex-superintendente executivo de empréstimos estruturados do ABN-Amro, Alexandre Ponzio de Azevedo. Todos foram demitidos de seus cargos em virtude do caso.

Tudo o que sabemos sobre:
Sadia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.