Justiça investiga a Aerolíneas Argentinas

Justiça investiga a Aerolíneas Argentinas

A estatal Aerolíneas Argentinas foi alvo ontem de mandados de busca e apreensão, segundo um porta-voz da companhia. A ordem da Justiça se deve à investigação de suposto pagamento de suborno na compra de 20 aviões da Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer). A operação, que envolve US$ 690 milhões, foi financiada pelo BNDES. O procedimento judicial foi feito depois de reportagem publicada pelo jornal La Nación.

MARINA GUIMARÃES, BUENOS AIRES, O Estado de S.Paulo

30 de março de 2010 | 00h00

"Achamos pitoresco o fato de aparecer a reportagem no jornal e, três horas depois, termos a busca e apreensão" na Aerolíneas Argentinas, disse o secretário dos Transportes, Juan Pablo Schiavi, que negou as denúncias. Em entrevista à agência estatal de notícias, Schiavi afirmou que, "em uma operação entre países, seria impensável qualquer tipo de manobra dolosa como a descrita".

Indagada sobre as denúncias, a Embraer enviou nota na qual repudia "veementemente" especulações sobre superfaturamento "na condução de seus negócios". A empresa também disse que "não comenta preços e condições comerciais constantes em seus contratos, que são protegidos por cláusulas de confidencialidade".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.