coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Justiça libera divulgação de inflação paralela argentina

As principais consultorias econômicas da capital argentina não terão mais de pagar multas de 500 mil pesos (US$ 96 mil) pela divulgação de seus cálculos sobre a inflação mensal da Argentina. Essa foi a determinação da Justiça, que ordenou a revogação das multas aplicadas pelo governo da presidente Cristina Kirchner nos últimos dois anos para as consultorias que não reproduzissem os mesmos índices elaborados pelo Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (Indec).

ARIEL PALACIOS, CORRESPONDENTE / BUENOS AIRES, O Estado de S.Paulo

15 de maio de 2013 | 02h08

A decisão dos tribunais é um duro golpe no secretário de Comércio Interior, Guillermo Moreno, autor das multas a economistas independentes. Moreno também é autor da maquiagem do índice de inflação, aplicado desde que o Indec ficou sob intervenção do governo Kirchner, em janeiro de 2007.

No ano passado, enquanto o Indec anunciou uma inflação de 10,8%, os economistas calcularam que a escalada inflacionária havia superado os 25%. No entanto, a percepção popular, segundo uma pesquisa elaborada pela Universidade Di Tella, indicava inflação superior a 30% em 2012.

Nos últimos anos a inflação "oficial" foi sempre inferior à metade do índice calculado pelos economistas independentes, proibida de ser publicada até esta semana.

No fim do ano passado, em discurso na Universidade de Harvard, Cristina Kirchner negou a escalada inflacionária e disse que o país "explodiria" se tivesse um índice de 25%. Embora negue a inflação, o governo implementou em fevereiro um congelamento de preços de produtos de supermercados, de lojas de eletrodomésticos e combustíveis.

Os partidos da oposição divulgaram ontem no Congresso seu índice mensal de inflação - o denominado "Índice Congresso", elaborado com a média das medições das principais consultorias econômicas do país. Nos últimos dois anos esse cálculo foi a única possibilidade de divulgação de um índice alternativo, não maquiado, já que os parlamentares têm imunidade para se esquivar das multas do governo Kirchner. Segundo esse índice, a inflação em abril foi de 1,52%. Nos últimos 12 meses, seria de 23,6%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.