Justiça manda lacrar sede da Vasp

Para impedir desvio de bens e documentos e garantir o pagamento de dívidas trabalhistas, o juiz titular da 14ª Vara do Trabalho, Homero Batista Mateus mandou lacrar às 18 horas desta segunda-feira, as dependências da Vasp, que está sob intervenção desde o dia 10.A ordem teve execução imediata e cópia da decisão foi afixada nas portas com a advertência de que o rompimento dos lacres configura crime de violação. A medida foi efetivada porque o DAC - Departamento de Aeronáutica Civil, nomeado interventor no último dia 10, como representante da União Federal, não assumiu a interventoria, o que deveria ter ocorrido na última terça feira.O DAC preferiu requerer a presidência do Tribunal Regional do Trabalho que fosse afastado do cargo. O pedido foi indeferido, diante do que o titular da 14ª vara deu prazo que se esgotou às 15 horas desta segunda-feira para assumir a intervenção. Como isso não ocorreu, mandou lacrar as dependências da VASP até posterior deliberação que poderá incluir instauração de inquérito policial por crime de desobediência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.