Justiça não interferirá em greve geral na Nigéria

A Corte de Justiça da Nigéria rejeitou um pedido do governo para ordenar a suspensão da greve nacional de quatro dias, convocada pelos sindicatos do país, iniciada na segunda-feira em protesto contra um aumento autorizado de alta nos combustíveis. Dessa forma, a greve deverá continuar por mais um dia. A greve conta com o apoio dos sindicatos que representam a categoria dos trabalhadores de companhias petrolíferas. O governo evitou comentar a decisão da Justiça. A greve não prejudica as exportações de petróleo da Nigéria. No entanto, o presidente da Nupeng, maior sindicato dos trabalhadores de petrolíferas, disse que seus membros poderão "fechar as torneiras" se o governo utilizar a força para colocar fim à paralisação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.