Justiça nega nova proposta do TGV pela compra da Varig

O juiz responsável pela recuperação da Varig, Luiz Roberto Ayoub, da 8ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, disse nesta sexta-feira que rejeitou uma petição apresentada no último dia 10 pela Trabalhadores do Grupo Varig (TGV), com uma nova oferta de compra pela companhia aérea. Como a TGV está impedida de fazer propostas por ter sido desqualificada no último leilão, a operação seria feita via sindicato dos aeronautas.Ayoub explicou que a proposta foi negada por ter sido entregue fora do prazo formal. Além disso, o sindicato teria informado à Justiça não ter sido comunicado das intenções da TGV. Pela proposta, a TGV solicitava que os créditos da Varig com os funcionários fossem convertidos em participação acionária para a aquisição da companhia. "Nada mais poderá impedir a realização da assembléia e do leilão", disse o juiz.Nesta sexta-feira à tarde, executivos da Varig se reúnem com credores da companhia na sede da empresa para discutir mudanças no plano de recuperação, visando se adequar à proposta de US$ 500 milhões feita pela VarigLog. Na segunda-feira, os credores farão uma assembléia para aprovar ou não a oferta. Se for aceita, a Justiça fará o leilão na quarta-feira.Oferta da TGV No primeiro leilão da companhia aérea, realizado no dia 8 de junho, o único lance foi dado pelo TVG, no valor de US$ 449 milhões. A Justiça aprovou a compra, com a condição de que o arrematador pagasse adiantado US$ 75 milhões. O dinheiro não foi depositado, e o TGV perdeu o direito de compra da companhia aérea.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.