Justiça ordena fim da greve nos Correios

Tribunal Superior do Trabalho determina que os grevistas voltem ao trabalho hoje e concede 6,5% de reajuste salarial para a categoria

EUGÊNIA LOPES / BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2012 | 03h09

Os funcionários dos Correios, em greve há 16 dias, terão de voltar ao trabalho a partir de hoje, segundo decisão tomada ontem pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST). Eles terão reajuste de 6,5%, retroativo a 1º de agosto, e não terão descontados os dias parados, mas terão de compensá-los, segundo decisão do tribunal. O impacto anual do aumento sobre a folha de pagamento dos Correios será de R$ 602 milhões.

A concessão do reajuste de 6,5 % foi decidida em sessão extraordinária do Tribunal. Os sindicatos da categoria serão obrigados a pagar multa diária de R$ 20 mil, caso seus filiados não retornem hoje ao trabalho.

"Temos certeza de que vai ter o retorno imediato ao trabalho", afirmou o vice-presidente Jurídico dos Correios, Jefferson Carús, que participou da audiência no TST.

Ao fim da sessão, o secretário-geral da Federação dos Trabalhadores dos Correios, Edson Dorta, informou que fará assembleias para consultar a categoria sobre a volta ao trabalho. Ele não escondeu a decepção com a decisão do Tribunal de conceder apenas 6,5% de reajuste. "Vai ser um aumento muito baixo para a categoria", reclamou.

Retorno ao trabalho. Representantes dos sindicatos de São Paulo, Rio de Janeiro, Bauru e Tocantins ficaram satisfeitos com a decisão do Tribunal e avisaram que vão retornar ao trabalho. "Vamos respeitar a decisão do TST e voltar ao trabalho amanhã (hoje)", disse José Aparecido Mendes Gandara, presidente do Sindicato de Bauru. Segundo ele, os quatro sindicatos são responsáveis por 68% do tráfego postal do Brasil.

'Vale Peru'. Além dos salários, o reajuste de 6,5% vai incidir sobre todos os benefícios pagos pela empresa, com o aumento do vale alimentação, tíquete refeição, vale de Natal (conhecido como "vale peru"), auxílio creche e vale transporte. O vale alimentação será de R$ 149,10, enquanto o tíquete ficará em R$ 26,62 por dia. No Natal, os empregados vão receber R$ 612,26 de vale peru. Já o auxílio transporte saltará de R$ 558,39 mensais para R$ 594,68.

Segundo a assessoria dos Correios, 11.825 funcionários estavam ontem em greve, o que representa 9,8% do total de empregados. Há atraso na entrega de 21 milhões de cartas. Os Correios farão um mutirão este fim de semana e a expectativa é que os trabalhos sejam normalizados a partir de segunda-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.