Justiça quebra sigilos bancário e fiscal do presidente do BC

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, será investigado por denúncias de crimes eleitoral e de evasão de divisas e terá os sigilos bancário e fiscal quebrado. A decisão é do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que aceitou hoje o pedido do procurador-geral da República, Cláudio Fonteles. O pedido foi feito no mês passado pelo procurador-geral, mas o ministro do STF só se pronunciou agora porque aguardou que o Supremo julgasse a legalidade da Medida Provisória do presidente Luiz Inácio Lula da Silva que deu a Meirelles o status de ministro e, portanto, o direito de ser julgado pelo Supremo. Na semana passada, o plenário do tribunal considerou a MP constitucional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.