Justiça suspende venda da VarigLog

A Justiça trabalhista do Rio de Janeiro suspendeu a venda da VarigLog ao fundo americano de investimentos Matlin Patterson, negociação confirmada na semana passada pela Varig. A juíza Giselle Bondim Lopes Ribeiro, da 19ª Vara do Trabalho do Rio, acatou hoje medida cautelar movida pelos sindicatos dos trabalhadores do setor aéreo e determinou o arresto de todos os bens da VarigLog e da Varig Engenharia e Manutenção (VEM), impedindo a negociação dessas duas subsidiárias.Na semana passada, os sindicatos de aeroviários e aeronautas e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac) pediram o arresto dos bens da VarigLog e VEM e pediram a destituição do conselho de administração da Varig e sua diretoria executiva.Segundo os sindicalistas, há indícios de fraude no processo de recuperação judicial da Varig, como a inclusão de 8 mil empregados da VarigLog e VEM na lista de credores da Varig, mas as duas subsidiárias não estão no processo de recuperação judicial.O conselho negocia a empresa de logística e transporte de cargas com o fundo americano por US$ 88 milhões, dos quais US$ 38 milhões pela VarigLog mais US$ 50 milhões de antecipação de recebíveis.Posição da VarigO presidente da Varig, Omar Carneiro da Cunha, declarou à Agência Estado que a empresa já está providenciando uma ação judicial para cassar a medida cautelar. Segundo ele, a venda da VarigLog é "absolutamente fundamental" para a sobrevivência da empresa, que está com problemas de caixa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.