Kawall anuncia novo secretário-adjunto do Tesouro

O secretário do Tesouro Nacional, Carlos Kawall, anunciou hoje o nome de Paulo Valle para a secretaria adjunta do Tesouro, em substituição a José Antonio Gragnani. Valle será responsável pela administração da dívida. Kawall disse que, com a indicação de Valle, quer transmitir a mensagem de continuidade e de que Valle não fará nada fundamentalmente diferente do que vinha sendo feito anteriormente. O nome de Paulo Valle foi antecipado ontem pelo repórter André Palhano, da Agência Estado. Kawall afirmou que o novo secretário-adjunto conhece os dias ruins e os dias mais favoráveis para a dívida. Segundo Kawall, Valle merece agora essa posição. "Ele é o primeiro secretário-adjunto da área da dívida que é dos quadros do Tesouro. Estava já na hora de ter alguém do próprio quadro do Tesouro." Kawall disse que conhece Valle desde 1992 e que, ao longo dos anos, sempre manteve contato com ele e o viu enfrentar momentos difíceis na administração da dívida. Valle disse que sua escolha é um sinal claro de continuidade da política, reconhecidamente de qualidade, do seu antecessor no cargo. Kawall elogiou ainda o trabalho de Gragnani, classificando-o de "espetacular". "Ele não deixou nada de muito importante para eu fazer", afirmou. Resultados deixados Segundo ele, os resultados da gestão da dívida interna conduzida por Gragnani saltam aos olhos. Além de o Tesouro estar conseguindo emitir títulos em condições favoráveis no exterior, Kawall destacou que neste mês haverá "um evento histórico", que é a recompra dos Bradies, encerrando "um longo capítulo da nossa dívida externa". O secretário afirmou que essa melhora está se refletindo na redução da vulnerabilidade externa do País, que por sua vez cria perspectiva de melhora na classificação de risco do País e torna mais clara a possibilidade de se alcançar o grau de investimento. Como referência também dos resultados da gestão da dívida externa, Kawall citou a emissão externa de títulos em reais, que criou uma nova possibilidade de financiamento, sobretudo para a infra-estrutura, como já foi sugerido pelo BID. Gragnani deve permanecer no cargo até o final do mês para realizar um processo de transição. Kawall manteve os outros três secretários-adjuntos do Tesouro: Jorge Khalil, que cuida da dúvida de Estados e municípios; Tarcísio Godoy, responsável pelo caixa do Tesouro, e Licio Fábio de Brasil Camargo, responsável pelas relações institucionais da Secretaria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.