KBC pede 3,5 bi de euros à Bélgica para enfrentar crise

A entidade quer enviar uma mensagem antes da abertura da Bolsa de Bruxelas na segunda-feira

EFE

25 de outubro de 2008 | 05h52

O grupo bancário belga KBC pediu 3,5 bilhões de euros ao Estado para combater sua crítica situação atual após perder 7% no fechamento da Bolsa de Bruxelas, informa o diário local "Le Soir". A entidade, a única de peso do mercado belga que ainda não tinha recebido auxílio público para enfrentar a crise financeira, quer enviar uma mensagem clara antes da abertura da Bolsa de Bruxelas na segunda-feira. Apesar do pedido de ajuda, fontes da entidade asseguram que não se encontram diante de um problema de solvência ou liquidez. No entanto, afirmaram que "é preciso reagir para deter a espiral negativa da qual é vítima", assegura a agência "Belga".

Tudo o que sabemos sobre:
KBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.