Kingsman projeta maior produção de açúcar no Brasil

A produção de açúcar do centro-sul do Brasil, maior produtor mundial da commodity, foi estimada em 31,7 milhões de toneladas em 2012/13, ante 31,3 milhões de toneladas da safra anterior, previu o consultor Jonathan Kingsman nesta quinta-feira.

MAYANK BHARDWAJ, Reuters

23 de agosto de 2012 | 15h22

A moagem do centro-sul, que produz cerca de 90 por cento da cana do país, foi projetada em 512 milhões de toneladas, ou 3,6 por cento maior que na safra anterior.

"A despeito das expectativas para um considerável aumento na moagem de cana, a produção de açúcar vai subir moderadamente, contida pelo clima. O conteúdo de sacarose na cana deve ser um pouco menor", disse Kingsman em uma entrevista.

Mesmo com a produção de 31,7 milhões de toneladas de açúcar, a principal região do Brasil ainda exportará 22,1 milhões de toneladas em 2012/13, estável ante a safra anterior, disse Kingsman, chefe da consultoria com sede na Suíça.

POTENCIAL DE 2 MILHÕES DE TONELADAS

A produção de açúcar na Índia, o segundo maior produtor do mundo, é projetada em 25 milhões de toneladas na nova safra que começa em outubro, em queda ante os 26 milhões de toneladas anteriores, depois que uma seca atingiu os canaviais em partes do país, segundo Kingsman.

Chuvas de monção, vitais para a produção agrícola na Índia, têm estado 14 por cento abaixo da média desde que a temporada chuvosa começou em junho.

A produção ainda será maior que o consumo interno de cerca de 22 milhões de toneladas anuais.

"A Índia terá um potencial de exportar 2 milhões de toneladas no próximo ano, mas por causa de implicações políticas e riscos de produção menor, estamos trabalhando com a previsão de que haverá exportações de 1 milhão de toneladas após março, quando o mercado e o governo terão uma ideia mais clara sobre a produção", ele disse.

A seca já levou a uma alta no preço do adoçante no mercado local, uma questão muito sensível politicamente na Índia.

"Não nos surpreenderíamos se o governo remover a tarifa de 10 por cento sobre as importações para resfriar um pouco os preços domésticos", disse Kingsman.

A Tailândia, segundo maior exportador mundial de açúcar, vai produzir um recorde de 10,3 milhões de toneladas em 2012/12, leve alta em relação aos 10,2 milhões da safra anterior.

As exportações tailandesas são projetadas em 7,5 milhões de toneladas, disse o consultor, 100 mil toneladas a mais que na safra 2011/12.

OFERTA EXCEDENTE

A Kingsman deve revisar em breve sua estimativa de junho para um excedente global de 9,3 milhões de toneladas para a temporada 2012/13.

"Temos uma previsão de excedente para este ano e o próximo. E isso sugeriria que o mercado deve recuar", disse ele.

O contrato de referência do açúcar na bolsa de Nova York ficou perto da mínima de 11 semanas na quinta-feira, pressionado pela melhora da perspectiva para colheita brasileira.

A baixa demanda também pode pressionar os preços.

"Nossos clientes europeus reportam baixas vendas devido à desaceleração das economias, e há uma evidência anedótica de queda na demanda na Europa, particularmente ao sul da Europa, onde as pessoas estão reduzindo o consumo de alimentos processados", disse a Kingsman.

A Kingsman afirmou ainda que a China, maior consumidor mundial após a Índia, importará 2 milhões de toneladas em 2012/13, contra 3,5 milhões de toneladas no ano anterior.

"A China está importando mais este ano, e atualmente 150 mil toneladas de açúcar brasileiro estão na fila dos portos para a China", disse ele.

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSCANAKINGSMANATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.