Kirchner diz que continua discutindo com Brasil e FMI

O presidente da Argentina, Néstor Kirchner, assegurou sexta-feira que, por mais que o chamem de "mal-educado", continuará "discutindo" com o Brasil e o Fundo Monetário Internacional (FMI) para defender "os interesses nacionais"."Vou continuar discutindo com o Brasil, com o Fundo, e digam o que disserem, o que me interessa é que a Argentina siga adiante", disse ele. Kirchner reclamou de alguns analistas e jornalistas que o chamam de "mal-educado" por causa das polêmicas que mantém com o FMI. "Eu luto pelos interesses da Argentina. Não é mal-educado quem briga pelos interesses nacionais. Os argentinos são educados, mas temos que aprender a defender nossas coisas", destacou.Kirchner também questionou o fato de alguns setores de seu país, que não identificou, considerarem uma "irreverência" ele discutir com o Brasil pelos conflitos comerciais bilaterais entre os parceiros do Paraguai e Uruguai no Mercosul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.