Kirchner diz que não muda proposta para a dívida Argentina

O presidente da Argentina, Nestor Kirchner, descartou hoje a possibilidade de mudar os termos da proposta de reestruturação da dívida do país com credores privados. "Não variamos em nada em relação à nossa proposta apresentada em Dubai", disse, referindo-se à proposta de deságio de 75% sobre a dívida no valor nominal de US$ 82 bilhões apresentada durante a última reunião anual do FMI.Na ocasião, a Argentina também anunciou que não pagaria os US$ 18 bilhões em juros acumulados desde a moratória de dezembro de 2001. "Nossa postura é a mesma, ela é absolutamente clara, racional e de boa fé, como explicamos recentemente para importantes funcionários internacionais", disse Kirchner. "Nós não estamos nem mesmo considerando uma estratégia de negociação diferente daquela que revelamos ao público e discutimos com a sociedade".

Agencia Estado,

20 de fevereiro de 2004 | 18h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.