finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Kirchner lança medida para restringir importação chinesa

O presidente argentino Néstor Kirchner anunciou a aplicação de um pacote de medidas com o objetivo de reduzir o impacto da invasão de produtos chineses na Argentina. No total, Kirchner aplicará medidas contra 11 setores, entre eles pneus, bijuterias de plástico, têxteis, calçados, brinquedos, bicicletas e ferragens, além de equipamentos de informática. Desta forma, pretende minimizar a tendência de aumento das importações de produtos chineses o país, que cresceram 87% desde o ano passado.As medidas - aplicadas oficialmente a produtos provenientes de todo o mundo, mas na prática direcionadas contra a China - consistem basicamente em licenças não-automáticas, com as quais, a entrada dos produtos poderão demorar até 120 dias. Além disso, diversos produtos deverão contar com especificações técnicas estampadas. A idéia é elevar o rigor para a admissão da entrada dos produtos, levando em conta sua qualidade.O anúncio do pacote, feito no Ministério da Economia, contou com a presença de parte das principais lideranças empresariais do país, além de líderes sindicalistas. Os economistas temem que a China - o quarto destino das exportações argentinas - aplique medidas de retaliação contra a Argentina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.