Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Kirchner pede que Petrobras invista mais na Argentina

Crescimento econômico fará o país se manter 'no limite' de sua capacidade energética

Efe,

29 de novembro de 2007 | 02h07

O presidente da Argentina, Néstor Kirchner, pediu nesta quarta-feira, 28, às petrolíferas Petrobras e Repsol YPF que aumentem seus investimentos no país, além de opinar que "não se deve dramatizar o tema da energia". "Precisamos que estas empresas invistam porque cuidam de um recurso central", afirmou o governante, na convenção anual da Câmara Argentina da Construção. Kirchner previu que, por causa de seu crescimento econômico, o país vai se manter "no limite" de sua capacidade energética. Mas disse que a presidente eleita, Cristina Fernández, "vem com uma bateria de medidas" que iniciará quando assumir o cargo, em 10 de dezembro. Ele disse ter conversado com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a necessidade de a estatal Petrobras fazer maiores investimentos na Argentina. A mesma conversa se repetiu com o chefe de Governo da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero, sobre a hispano-argentina Repsol YPF. "Há muitas empresas que aumentaram a sua produção e as suas reservas, mas outras não. A Petrobras deve investir e pesquisar muito mais, e eu disse a Lula que trabalhe com a Argentina", revelou Kirchner. Na semana passada, a Petrobras anunciou que no próximo ano aumentará seus investimentos na produção e prospecção de hidrocarbonetos na Argentina, sem divulgar os montantes.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasArgentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.