Kirchner pedirá a Bush a eliminação de subsídios agrícolas

O presidente Néstor Kirchner aproveitará seu encontro com o presidente George W. Bush, amanhã, em Washington, para defender o plano acertado com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva de negociar a Área de Livre Comércio das Américas (Alca) através do Mercosul como bloco, e não por separado, país por país. Segundo informações da chancelaria argentina, o presidente Kirchner também pedirá a Bush a eliminação dos subsídios agrícolas e que os Estados Unidos abra seus mercados para a entrada de produtos argentinos manufaturados. O embaixador argentino nos Estados Unidos, José Octavio Bordón, explicou que Kirchner dirá à Bush que "a Argentina precisa crescer com demanda interna, mas também com maiores e melhores exportações". O saldo da balança comercial entre a Argentina e os Estados Unidos , nos primeiros cinco meses deste ano, é favorável ao gigante do Norte em US$ 427 milhões. A Argentina exportou US$ 856 milhões e importou dos norte-americanos US$ 1,2 bilhão. O governo argentino também considera que a intransigência dos Estados Unidos e da Europa em relação aos subsídios agrícolas poderá levar a Ronda de Doha ao fracasso. Para evitar isso, acredita que ambas potências deveriam dar o primeiro passo para as negociações, eliminando os subsídios às exportações e as ajudas internas para o setor.

Agencia Estado,

22 Julho 2003 | 08h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.