KLM se recupera e registra aumento no lucro líquido

A companhia aérea holandesa KLM registrou aumento no lucro líquido acima das expectativas no segundo trimestre fiscal, apresentando fortes sinais de recuperação depois dos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001. No entanto, a empresa afirmou que as condições operacionais continuam difíceis. De julho a setembro, a KLM auferiu lucro líquido de 86 milhões de euros (US$ 84 milhões), o que representa elevação de 219% em relação aos 27 milhões de euros obtidos há um ano.O lucro operacional totalizou 141 milhões de euros (US$ 137,8 milhões), 70% a mais do que os 83 milhões de euros registrados no segundo trimestre fiscal do ano passado. A expectativa dos analistas era de um lucro operacional de 105,7 milhões de euros (US$ 103,3 milhões).De acordo com a companhia, a melhoria foi resultado do rígido controle de custos. A KLM afirmou ainda que o segmento de entretenimento e lazer na Holanda já conseguiu se recuperar dos atentados nos EUA no ano passado, que tiveram um efeito devastador na indústria e afetaram o lucro operacional da companhia em cerca de 50 milhões de euros (US$ 48,9 milhões).CautelaNo entanto, apesar dos bons resultados, a KLM alertou que ainda não estava segura de que deverá registrar um lucro líquido ao longo do exercício fiscal que termina em março de 2003. Segundo a empresa, as condições operacionais continuam difíceis. No entanto, ela reiterou que espera registrar um lucro operacional positivo este ano. Os resultados da KLM são acompanhados de perto, já que servem de referência para os resultados das outras companhias. A British Airways deverá divulgar seus resultados no dia 5 de novembro.O fluxo de passageiros no período aumentou 2% em relação ao segundo trimestre fiscal do ano passado. Nas rotas-chave do Atlântico Norte, o tráfego caiu 5%, calculado sobre uma redução de 9% na capacidade. Com isso, a taxa de ocupação subiu quatro pontos percentuais, para 86%.DespesasOs resultados do trimestre foram afetados negativamente em 9 milhões de euros (US$ 8,79 milhões) em função de uma "operação tartaruga" realizada pelos engenheiros de terra. Além disso, a KLM registrou uma despesa de depreciação de 10 milhões de euros (US$ 9,77 milhões) relativa à sua frota de Boeings 747-300. E reiterou que deverá registrar despesas similares nos próximos oito trimestres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.