Kocherlakota diz que estímulo deve continuar nos EUA

O presidente do Federal Reserve (Fed) de Minneapolis, Naryana Kocherlakota, sugeriu neste sábado que a autoridade monetária dos Estados Unidos precisa de uma política de estímulo de longo prazo.

Agencia Estado

24 de agosto de 2013 | 20h20

Kocherlakota, que participa do simpósio anual do Fed de Kansas City, disse que embora o Fed tenha cortado suas taxas de juros para quase zero e venha comprando US$ 85 bilhões em bônus por mês para manter as taxas de juros de longo prazo baixa, ainda não conseguiu reduzir suficientemente as taxas de juros.

Ele afirmou que é "realmente um exagero pensar" que o Fed reduziu muito as taxas de juros.

Na verdade, considerando as altas taxas de desemprego e o baixo índice de inflação, "eu acho que o vemos é que não conseguimos baixar as taxas o tanto que gostaríamos", declarou Kocherlakota.

Embora acredite-se que o Fed esteja à beira de reduzir seu programa de compra de ativos, Kocherlakota disse que o Fed vai precisar manter uma política monetária altamente estimulante ainda por algum tempo, embora não tenha explicitamente se oposto à redução.

Ele disse que "as taxas de juros naturais caíram" em todo o mundo como mostra o fraco crescimento econômico, a baixa utilização de recurso e a baixa inflação. Fonte: Market News International.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.