Köhler defende implementação de reformas no Japão

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional, Horst Köhler, afirmou hoje que o Japão está emergindo de sua pior recessão no pós-guerra, mas observou que a recuperação tem sido modesta, o que torna ainda mais importante que o governo adote medidas para melhorar as condições da economia. No encerramento de uma série de encontros com autoridades e líderes empresariais no Japão, Köhler destacou que a recuperação japonesa segue atrelada aos desdobramentos nos mercados externos.O diretor-gerente do FMI, no entanto, mostrou-se otimista em relação à economia mundial, afirmando que enquanto as perspectivas de crescimento ficaram mais fracas nos EUA e na Europa, as projeções globais não estão sombrias. "A recuperação continuará gradualmente e eu acho que não há um risco sério de uma recessão", comentou.A dependência do Japão em relação à demanda externa, particularmente dos EUA, para alavancar sua economia deixa o país vulnerável à expansão mais lenta na economia norte-americana e aos movimentos bruscos no câmbio. Köhler afirmou que o Japão já aprofundou o debate de medidas consideradas críticas para revivar a economia e ajustar o seu doentio sistema bancário, enfatizando que agora é o momento de as autoridades levarem a sério a implementação de reformas estruturais mais amplas.

Agencia Estado,

10 de setembro de 2002 | 12h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.