Köhler deixa o FMI para disputar a presidência da Alemanha

O diretor-gerente do FMI, Horst Köhler, renunciou hoje para aceitar a indicação para ser presidente da Alemanha, encerrando um período de quatro anos à frente da instituição que coincidiu com a mais acentuada desaceleração econômica global em duas décadas. Em entrevista, Köhler disse estava orgulhoso do papel que desempenhou na atual recuperação econômica. Ele renuncia ao cargo de diretor-gerente do FMI um ano antes do fim de seu mandato. Köhler foi indicado para presidente da Alemanha pelos partidos de oposição que detêm o controle da assembléia legislativa, que elege o presidente. Espera-se que Köhler vença a eleição marcada para 23 de maio. "Eu aceitei essa indicação hoje e, de acordo com as regras do FMI, eu tenho de renunciar imediatamente ao aceitar essa indicação, portanto, estou renunciando hoje", disse. O FMI será comandado interinamente pela vice-diretora-gerente, Anne Krueger, até que os acionistas do Fundo escolham um novo diretor-gerente.

Agencia Estado,

04 Março 2004 | 17h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.