finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Köhler, do FMI, defende flexibilização de câmbio para emergentes

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Horst Köhler, retomou a questão do câmbio no encontro conjunto do FMI e do Bird, em Dubai, ressaltando a necessidade da adoção de políticas de câmbio mais flexíveis em países emergentes, que têm registrado elevação em suas reservas internacionais. "Em várias economias emergentes, onde o acúmulo de reservas tem sido rápido e o superávit em conta corrente é elevado, permitir maior estabilidade das taxas de câmbio seria útil, no campo doméstico e global", disse Köhler. Desequilíbrios grandes em conta corrente e elevado nível de dívida pública representam riscos significantes para a economia mundial e estas questões devem ser absorvidas de maneira ordenada, disse Köhler. Köhler pediu aos EUA que estabeleçam uma agenda crível para reduzir o excessivo déficit de seu orçamento, o que trata-se de uma "contribuição essencial para sustentação do crescimento global e para solução dos desequilíbrios globais". A Europa e o Japão devem implementar reformas estruturais para elevar sua capacidade de produção, disse Köhler. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.