Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Koike queria ir além do governo e da Embraer

O engenheiro Bento Koike já se acostumou a ouvir a mesma pergunta: por que decidiu, 16 anos atrás, fabricar pás eólicas no Brasil, onde não estão (ou não estavam até agora) nenhum dos seus clientes? A razão é que Koike - até então sócio de uma empresa que desenvolvia componentes do Programa Aeroespacial Brasileiro - estava cansado de fornecer só para o governo e para a Embraer, na época uma estatal. "Eu sentia muito essa limitação e queria um mercado mundial. Naquela época, a energia eólica estava começando na Alemanha e na Dinamarca", diz Koike, um desses cientistas visionários. "Fomos para a Alemanha e saímos de lá com o primeiro contrato."

Patrícia Cançado, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.