Laboratório desmente que tenha maquiado Luftal

O laboratório Bristol-Myers Squibb enviou um comunicado à imprensa para refutar as denúncias feitas pelo Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal (CRF-DF) e pelo Instituto Brasileiro de Defesa dos Usuários de Medicamentos (Idum), de que a empresa estaria maquiando o preço do medicamento Luftal. O responsável pela divisão de assuntos corporativos da Bristol-Myers Squibb, Antônio Carlos Salles, afirma que houve um equívoco por parte do CRF-DF em comparar o Luftal 40 mg com dois blisters de 10 comprimidos e o Luftal Max 125 mg com um blister de 10 cápsulas gelatinosas. "São dois produtos diferentes e ambos estão registrados e aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Câmara de Medicamentos (Camed)", explica.Antônio Carlos destaca que o preço dos dois medicamentos foi analisado pela Camed e que o produto Luftal de 40 mg com dois bliters de 10 comprimidos não sofreu alterações na embalagem ou no preço. "O Luftal Max 125 mg foi lançado no ano passado e possui 3 vezes mais o ingrediente ativo do que o Luftal de 40 mg", avisa o responsável pela divisão de assuntos corporativos do laboratório. O CRF-DF e o Idum soltaram na sexta-feira uma lista com cerca de 35 remédios que haviam sofrido algum tipo de alteração em suas embalagens e preços, sem alteração do seu princípio ativo. Confira a lista dos medicamentos no link abaixo.Veja abaixo o comunicado oficial da empresa na íntegra: "A Bristol-Myers Squibb , que teve citado o seu produto Luftal Max, desmente e refuta as informações divulgadas pelo Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal (CRF-DF), uma vez que o referido medicamento foi indevidamente incluído na lista de produtos sob suspeita de alteração. É importante esclarecer que são comparadas apresentações diferentes de produto: Luftal 40 mg com dois blisters de 10 comprimidos e Luftal Max 125 mg com um blister de 10 cápsulas gelatinosas. Luftal Max é uma nova apresentação do Luftal tradicional. Sua fórmula Max possui maior concentração do princípio ativo dimeticona. São 125 mg de dimeticona enquanto que, na versão tradicional, essa quantidade é de 40 mg. O fato de trazer em sua fórmula uma concentração três vezes maior de dimeticona, em comparação à versão tradicional, faz com que Luftal Max proporcione efeito mais rápido no alívio dos sintomas causados pelo excesso de gases gastrointestinais. Além disso, Luftal Max tem uma apresentação diferenciada: em cápsulas gelatinosas. Esses fatos comprovam que a Bristol-Myers Squibb não está "maquiando" os preços de seus produtos e que o custo de Luftal Max se justifica pelos novos atributos e apresentação diferenciada do medicamento. A preocupação da Bristol-Myers Squibb é garantir as melhores opções terapêuticas à população. A ética e respeito ao consumidor norteiam sua atuação no País."

Agencia Estado,

03 de setembro de 2001 | 17h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.