Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Lagarde: fracasso com dívida gera risco de turbulência

Economias avançadas precisam de estratégias confiáveis para reduzir o nível recorde das dívidas no médio prazo, mas não devem se apressar para cortar a dívida ao mesmo tempo, alertou neste sábado a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde.

FILIPE DOMINGUES, Agencia Estado

21 de abril de 2012 | 19h36

"Corremos o risco de retomar a turbulência se não agirmos com vigor suficiente", comentou em conferência, observando que a dívida pública das economias avançadas do mundo deve alcançar 100% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013.

No entanto, ela avisou que o crescimento global vai ser muito atingido se os países tentarem reduzir o nível das dívidas na mesma velocidade. "Precisamos distinguir entre aqueles Estados que não têm opção e aqueles que podem ter um pouco de espaço", disse.

Falando na mesma conferência, o ministro de Finanças de Cingapura, Tharman Shanmugaratnam, afirmou que, embora o crescimento econômico no mundo permaneça baixo, a maioria dos governos tem uma pequena margem para empregar estímulos fiscais. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LagardeFMIdívida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.