Lagos confirma descoberta de gás natural no sul do Chile

O presidente do Chile, Ricardo Lagos, confirmou hoje que a Empresa Nacional de Petróleo (Enap) descobriu uma reserva de gás natural na região de Magalhães, no sul do país. A jazida fica nas proximidades do Lago Mercedes, na Terra do Fogo, a cerca de 2.400 quilômetros de Santiago. Segundo o presidente, o gás permitirá o abastecimento da região sul, inclusive o consumo industrial."Acho que em breve teremos notícias sobre gás na Região de Magalhães, muito importantes, não só para o consumo da população, mas também para a indústria Methanex", disse Lagos em entrevista com à emissora "W Rádio".A canadense Methanex possui na região uma gigantesca fábrica de metanol, que produz 12% da demanda mundial da substância, utilizada na fabricação de tintas e outros produtos da indústria química. A descoberta coroa um plano de prospecção empreendido na região pela Enap, com um investimento de cerca de US$ 300 milhões. Até agora, segundo fontes do setor, foram identificados três pontos de reserva, a cerca de quatro mil metros de profundidade, que permitiriam abastecer 25% da demanda nacional.Com relação aos cortes no gás natural vindo da Argentina, Lagos assegurou que "não há problema imediato". Para ele, o único problema sério é na zona central do Chile, onde no ano passado a restrição chegou a 50% da oferta e o gás foi substituído por petróleo, que é mais caro.O Chile compra 22 milhões de metros cúbicos diários de gás argentino. A importação sofreu restrições nos últimos dois anos, devido a necessidades de abastecimento interno na Argentina. Lagos não excluiu a possibilidade de comprar gás da Bolívia, que no passado condicionou a venda ao Chile a sua reivindicação histórica de um acesso soberano ao Pacífico, segundo a fórmula de "gás por mar", proposta pelo então presidente Carlos Mesa.O governante disse que não apresentou propostas neste teor ao novo presidente da Bolívia, Evo Morales, mas disse a ele que seu "melhor parceiro vai ser o Chile". "Vamos ter uma regaseificadora que lhe permitirá manter preços competitivos para o gás no mundo", argumentou o governante chileno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.