Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Lâmpada fluorescente não vale a pena sempre

Segundo o consultor de iluminação da Associação Brasileira da Indústria de Lâmpadas e Aparelhos de Iluminação (Abilux), Fernando Guarnieri, é necessário observar o modo de utilização da iluminação em cada ambiente da residência para determinar qual é a lâmpada mais adequada. Isso porque, a troca das lâmpadas incandescentes por fluorescentes só é indicada em ambientes nos quais a iluminação seja utilizada por mais de uma hora. Guarnieri explica que quando a lâmpada fluorescente é acesa, sofre um pico de tensão que depois se estabiliza. Se ela é desligada antes disso, sua vida útil fica reduzida. Seguindo esta linha de raciocínio, a cozinha é um bom local para utilizar as lâmpadas fluorescentes. Também para a sala e os quartos, vale a pena a troca de lâmpadas incandescentes por fluorescentes. "Nestes ambientes, a utilização da iluminação pode ser pequena, mas não chega a prejudicar a durabilidade da lâmpada", afirma. Já nos banheiros, a melhor opção é reduzir a potência da lâmpada incandescente.Para espaços de circulação, como corredor, escada e garagem, Guarnieri recomenda o uso de lâmpadas incandescentes de baixa potência em conjunto com sensores de presença. "Os sensores custam entre R$ 50 e R$ 60 reais e são facilmente instalados por um eletricista", diz. Nas áreas externas, onde é utilizada uma luz de vigília, o consultor de iluminação indica o uso de lâmpadas fluorescentes compactas de 9 a 11 volts em conjunto com uma célula foto elétrica, que acende a luz quando escurece e apaga quando clareia o dia. " A célula foto elétrica é barata, custa em média R$ 11, e também não apresenta dificuldades para instalação", diz.Para quem costuma utilizar abajures para ler todas as noites, a troca da lâmpada incandescente por uma fluorescente também é indicada.Observe qualidade e voltagem das lâmpada fluorescentesO consultor de iluminação lembra ainda, que é muito importante observar se a marca da lâmpada fluorescente oferece garantias. "É preferível sempre comprar lâmpadas que tenham certificação do Inmetro ou do Procel, mesmo que sejam mais caras". Além disso, segundo o presidente da Abilux, Carlos Eduardo Uchôa Fagundes, existe muita mercadoria falsificada no mercado. Ao escolher as lâmpadas fluorescentes também é necessário observar para qual voltagem ela está indicada. "A voltagem é diferente em cada região do País, em São Paulo, por exemplo, a voltagem é 127 volts", diz Guarnieri. Segundo ele, se a lâmpada não estiver adequada à voltagem, pode ter sua vida útil prejudicada ou nem funcionar.Confira no link abaixo as opções para reduzir o consumo de energia com iluminação.

Agencia Estado,

15 de junho de 2001 | 13h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.