Lamy,da OMC,diz que Rodada de Doha ainda precisa de 'empurrão'

O diretor-geral da Organização Mundialdo Comércio (OMC), Pascal Lamy, disse no sábado que ainda épossível concluir a chamada Rodada de Doha de liberalizaçãocomercial global, mas que os líderes políticos precisam dar um"empurrão final" ao processo. Lamy alertou que as consequências do fracasso podem sersombrias, que o protecionismo historicamente é prenúncio deguerra e que os países pobres vão se sentir ludibriados se omundo industrializado continuar sendo o maior beneficiado com aatual ordem econômica global. "Um acordo agora é factível, mas precisamos de um empurrãofinal, que necessita da constante atenção e mobilização doslíderes", disse Lamy, numa conferência sobre conflitosmilitares e segurança. "Não há uma ampla diferença a ser superada, mas permanecemalgumas diferenças --muito menos do que havia no ano passado ouhá dois anos", acrescentou. Diplomatas ligados ao comércio retomaram nesta semana asnegociações da Rodada de Doha na sede da OMC, em Genebra. Oprocesso, lançado em 2001 na capital do Catar, está paradoprincipalmente devido a diferenças sobre a redução de subsídiose tarifas agrícolas nos países desenvolvidos. Lamy insiste que a negociação deve terminar até o fim doano, para evitar que coincidam com a campanha presidencialnorte-americana de 2008, já que isso supostamente daria aogoverno dos EUA menos margem de manobra para negociar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.